Compare e Comprove! Vantagens de construir com a Ouro Branco

Muito mais do que o desenvolvimento de um produto único inovador, a Ouro Branco criou um sistema construtivo revolucionário!

Com mais de 8 anos de pesquisa e desenvolvimento no Brasil e no Exterior, a OURO BRANCO desenvolveu um produto único e diferenciado, visando atender ao exigente mercado de construção civil brasileiro com tamanho e formatos especiais. Seu processo de fabricação é baseado no premiado modelo alemão, que vem sendo aprimorado durante os mais de 40 anos de existência.

 

Blocos pré-moldados de Hidrogesso, fabricados por processo de moldagem, apresentando acabamento perfeito nas suas superfícies. Assim, os blocos se encaixam perfeitamente e, após a montagem da parede, obtém-se uma superfície plana e pronta para receber o acabamento.

Veja a tabela comparativa com as vantagens do Bloco de Hidrogesso!
✔ Redução de etapas.
✔ Maior precisão.
✔ Diminuição do tempo total da obra.
✔ Menor desperdício de materiais.
✔ Facilidade para reformas e customizações.

Metade do TEMPO na construção. Utilizando a metade do CUSTO.

Somos referência em inovação no sistema construtivo! Com o Hidrogesso você não precisa mais de materiais convencionais, como: cerâmica, areia, cimento, concreto e ferro na estrutura das paredes. Garantimos uma obra mais limpa, mais rápida e sem desperdícios.

Venha descobrir TODOS os benefícios de construir com a Ouro Branco!

Clique aqui e fale com a gente!

Tipos de piscinas, descubra qual o melhor para sua casa!

Quem nunca sonhou em ter uma bela piscina em casa?

Poder tomar aquele banho refrescante nos dias mais quentes do ano, reunir os amigos e familiares na área de lazer e curtir momentos agradáveis.

Esse sonho pode estar perto de se realizar e para isso é importante você conhecer os tipos de piscinas, quais os modelos mais utilizados e seus materiais. Além de suas vantagens e comparação de custos.

Por isso separamos para você os tipos de piscinas mais utilizados e suas características. Continue lendo esse artigo e avalie qual a melhor opção para o seu projeto.

A primeira coisa a se fazer é verificar se o espaço na sua residência é apropriado para essa construção. Por isso, você necessitará de um bom projeto de arquitetura.

Com a consultoria de um arquiteto, ele irá indicar as melhores e mais seguras formas de realizar o projeto. Feito isso ficará mais tranquilo escolher entre os vários tipos de piscinas disponíveis no mercado.

 

Tipos de piscinas

Piscinas de concreto/alvenaria – Versatilidade e personalização.

Como este tipo de piscina pode ser projetada em qualquer tamanho, formato ou profundidade, traz uma grande versatilidade ao seu projeto, podendo encaixá-la em qualquer local adequado do terreno.

E isso faz das piscinas de concreto uma ótima opção para quem deseja uma piscina única e bela.

Além disso, pode-se utilizar diversos tipos de acabamentos! Como azulejos, pedras e pastilhas, sendo esse último o mais utilizado. Já que sua qualidade e maior possibilidade de personalização.

Lembrando que esse tipo de piscina é mais vulnerável a vazamentos. Muitas vezes causado pelo adensamento do solo ao seu redor, assim formando pequenas fissuras no concreto.

Por isso necessita de uma boa impermeabilização na sua construção. Isso pode ser feito utilizando uma manta asfáltica ou argamassa.

Esse tipo de piscina é uma das mais caras no mercado, perdendo apenas para as piscinas de vidro. Outra desvantagem é seu tempo elevado para construção.

Manutenção de piscinas de concreto

  • Para limpeza mais pesada pode-se utilizar escova de aço;
  • Não mancha com cloro, mas com algicidas à base de cobre sim, então cuidado;
  • No local dos rejuntes, ficar atento quanto a limpeza, esses locais são de constantes problemas de desenvolvimento de algas.

Veja alguns modelos de piscinas de concreto:

Piscinas em fibra de vidro – Fácil manutenção e baixo custo.

Uma ótima opção para quem busca economia e agilidade na instalação, como ela é pré-fabricada, a obra leva apenas alguns dias e já está pronto para uso.

Porém para quem gosta de algo mais personalizado fica limitado, podendo escolher apenas entre os modelos já definidos.

Como sua superfície é bastante lisa, não acumula fungos e ajuda na limpeza da mesma, assim as sujeiras são removidas com bastante facilidade.

As chances de vazamentos são mínimas, porém para que fique intacta ao longo dos anos, deve-se tomar alguns cuidados como:

Evitar o escoamento da água, mantendo sempre cheia, ao fazer o tratamento da água evitar usar algicidas à base de cobre, pois, frequentemente causam manchas amareladas ou azuladas e a aplicação de cloro jamais pode ser exagerada.

Manutenção de piscinas de fibra de vidro

  • Sua pintura é muito sensível a manchas de cloro, algicida e também a arranhões. Ao aplicar o cloro, deve-se diluir antes, principalmente se for utilizar tricloro granulado.
  • Caso perceba pedras de cloro no fundo da piscina após a aplicação, deve-se utilizar a escova conectada a uma haste para varrer até que se desmanche, evitando assim manchas brancas no fundo da piscina.
  • Nunca utilizar escova de aço;
  • Em hipótese alguma tirar mais da metade da altura de água. Necessita-se estanque-la antes de retirar a água, caso contrário as chances são muito grandes de quebrar.
  • Esse tipo de piscina geralmente possui casa de máquina pequena e fácil de alagar, por isso redobrar o cuidado no manuseio de registros e limpeza do pré-filtro.

Veja alguns modelos de piscinas de fibra de vidro:

Piscinas de Vinil – Versatilidade e Rapidez

A estrutura desse tipo de piscina praticamente é o mesmo das piscinas de concreto, tendo bastante versatilidade na hora de construir, fazendo o formato e a profundidade que desejar.

A única coisa que difere a piscina de vinil com a de concreto é que o vinil torna-se o revestimento para as paredes de concreto.

Outras vantagens desse tipo de piscina é a rapidez de instalação, fácil manutenção e limpeza, assim como as de fibra de vidro. Além do baixo custo.

O vinil tem uma duração estimada a 10 anos, no passado a baixa durabilidade era motivo de grande desvantagem, mas já existem novas tecnologias que tornaram o material muito mais resistente.

Uma desvantagem desse tipo de piscina é o cuidado com objetos cortantes ou pontiagudos, pois isso pode perfurar e causar vazamentos na piscina.

Essas piscinas necessitam de um caminhão pipa para enchê-las, para não enrugar.

Para a manutenção, tomar os mesmo cuidados citados nas piscinas de fibra de vidro.

Veja alguns modelos de piscinas de vinil:

Piscinas de vidro – sofisticação e elegância.

Perfeita para quem busca uma experiência fora do normal em termo de design de piscinas, elas são sofisticadas e extremamente elegantes.

A principal vantagem dessas piscinas é o valor decorativo que ela passará ao ambiente, assim, agregando ainda mais valor a sua residência.

Mas nem tudo são flores, esse tipo de piscina é uma das mais caras do mercado, então, caso esteja disposto a ter esse requinte em seu quintal, prepare o bolso.

O projeto desse tipo de piscina precisa estar minuciosamente coerente aos termos de segurança. O local de instalação deve estar preparado para a chegada do vidro, com quadros de aço inox totalmente nivelados e planos.

Para que não exista o risco de acabar quebrando o vidro no momento de encher a piscina.

Mas não ache que por ser vidro ela é frágil, especialistas nesse tipo de piscina garante total segurança e indicam vidros laminados múltiplos, que são compostos por várias camadas de vidro e material plástico altamente flexível.

Veja alguns modelos de piscinas de vidro:

Fonte: Entenda Antes

Cozinha americana demanda cuidados com armazenamento e exaustão

Pra construir a sua casa, é importante um olhar atento para um cômodo que tem se tornado cada vez mais o centro de atenção dos lares: a cozinha americana.

Espaço em que muitos recebem convidados especiais para almoço, jantar e outros eventos gastronômicos.

Uma possibilidade para otimizar esses encontros, ou até mesmo aumentar a área de convívio da família, é a integração da cozinha com a sala, formando a chamada cozinha americana ou em conceito aberto.

Para ajudar você a projetar a cozinha da sua casa, as arquitetas Jessika de Araujo e Natallie Candiotto escreverem este post com algumas dicas.

 

Escolha o tipo de bancada certo

De acordo com a arquiteta Jessika de Araujo, do Estúdio 127 Arquitetura e Gerenciamento de Obras. É muito comum, neste tipo de ambiente, a utilização de bancadas para hierarquizar e dividir os ambientes fisicamente sem perder a integração visual. “Porém, é preciso tomar cuidado com o tipo de bancada, para que ela seja funcional e ergonômica”, afirma.

Sobre o tamanho das bancadas, a arquiteta explica. “A bancada deve ter no mínimo 30cm de largura, e a altura deve variar entre 75cm e 110cm, dependendo se será utilizada para refeições (mesa), para trabalho ou de apoio à pia e ao fogão”.

 

Atenção para a falta de armários

Para realizar a integração entre os cômodos, é necessário eliminar paredes, o que necessita de uma atenção especial. “Com essa eliminação, é possível que você se veja sem opções de local para instalar armários e espaços de armazenamento em geral. Estes espaços são muito importantes em uma cozinha”, afirma Jessika de Araujo.

De acordo com a profissional Natallie Candiotto. “Uma opção interessante seria uma gaveta ou porta que comporte os temperos, condimentos e utensílios mais usados no dia a dia em baixo do fogão”.

 

Não economize na coifa

Outra questão importante é a implantação de um sistema de exaustão, para evitar a proliferação de odores de alimentos. “Como os espaços estão integrados, um bom sistema de exaustão, como uma coifa. Um bom sistema de exaustão é fundamental para evitar que odores se espalhem por toda a casa. Caso contrário corre-se o risco dos cheiros como de frituras incomodem a família e os convidados”, completa Natallie Candiotto.

Fonte: Blog Pra Construir

Construção da área de lazer deve considerar espaço e iluminação

Como é bom comemorar uma data especial, um grande acontecimento, ou até mesmo aproveitar os dias de sol na área de lazer da sua casa, não é mesmo?

Mas para garantir bons momentos em família ou com amigos, alguns cuidados são necessários. Para ajudar você a projetar ou reformar área de lazer para a sua casa, reunimos neste post algumas dicas dos arquitetos Paulo Capel, Moacyr Corsi e Rebeca Braga.

 

Dicas para a área da churrasqueira

Escolha o tamanho de churrasqueira certo

O primeiro passo é escolher a churrasqueira mais adequada. “O tamanho precisa ser compatível com o uso. Além disso, o duto da chaminé deve ser sempre bem dimensionado, com o mínimo possível de curvas e cotovelos, pois isso é o que geralmente atrapalha a circulação do fluxo de ar e faz com que haja retorno da fumaça”, explica o arquiteto.

Outra questão são as dimensões. De acordo com Capel, é preciso estar atento para que o churrasqueiro tenha espaço livre de trabalho, com bancada de apoio e itens à mão. “Na pia é necessário ter uma cuba com tamanho compatível à tábua de carnes e espetos; torneira; talheres, copos e pratos sempre à mão e, de preferência, um frigobar ou geladeira que possa armazenar as bebidas e alimentos”, explica Paulo Capel.

Pense na circulação das pessoas

O espaço precisa ainda ser adequado para receber os convidados. “É necessária uma quantidade média de assentos (bancos e cadeiras) que também possa sempre agregar mais pessoas. Então prever espaços de circulação ao redor da mesa que possam receber mesas dobráveis ou banquetas soltas é uma boa pedida”, complementa Paulo Capel.

Iluminação na medida certa

Para garantir o conforto de todos, é preciso estar atento ao sistema de iluminação da churrasqueira. “O desconforto visual prejudica as pessoas e pode até ter consequências em nossa saúde, então nada de colocar apenas uma lâmpada no teto, no centro do ambiente. Mas também de nada adianta encher de spots e luminárias que vão deixar a iluminação do espaço parecendo canhões de luz em um show de rock”, completa Paulo Capel.

 

Dicas para a piscina

Qual a finalidade da piscina?

Segundo o arquiteto Moacyr Corsi, é preciso estar atento a alguns detalhes na hora de projetar uma piscina, mas o principal é a finalidade: será só para recreação ou também para esporte? Será utilizada por criança e idosos?

“Pessoas que gostam de nadar preferem piscinas longas, até mesmo com raias. As piscinas para recreação geralmente possuem 1,40m de profundidade e servem para banhar-se ou para imersão”, explica.

Tem que pegar sol

O ideal é que a área da piscina receba a incidência direta do sol na maior parte do dia. Para isso projete a construção da piscina afastada da casa, muros e árvores. Assim haverá menos sombras.

Escolha o tipo de piscina

Cada opção disponível no mercado tem vantagens e desvantagens. É preciso estar atento e analisar quais são as suas necessidades. Neste post falaremos dos 4 tipos mais comuns.

Piscinas de alvenaria

As piscinas de alvenaria são compatíveis com revestimentos sofisticados e possuem grande resistência. E o azulejo não é o único material que pode ser usado para revestir. Hoje é possível utilizar pastilhas de vidro ou outro material cerâmico. Como desvantagem, está o tempo para construção, que é maior e o risco de vazamento, já que é preciso um tratamento impermeabilizante, que encarece o processo.

Piscinas de fibra de vidro

As piscinas de fibra de vidro são ideias para quem busca uma construção rápida. Tem custo mais acessível e as chances de vazamentos são pequenas. É possível encontrá-las à venda em formatos definidos. Isso facilita para quem tem urgência, mas tem como desvantagem a falta de personalização.

Piscinas de vinil

No caso das piscinas de vinil, há várias possibilidades de formatos e tamanhos, fatores que a tornam a preferida da maioria das pessoas. É impermeável e facilmente ajustável. Como desvantagem está a baixa (ou nenhuma) resistência a objetos cortantes.

Piscinas de plástico

Anteriormente associada às crianças, as piscinas de plástico podem ser encontradas em tamanhos maiores, possibilitando o divertimento de adolescentes e adultos e podem ter uma capacidade superior a 20 mil litros. Apesar do custo acessível, apresentam problemas como uma maior possibilidade de rasgar.

 

Dicas para o jardim

Crie ambientes e decore os caminhos

De acordo com a arquiteta e paisagista Rebeca Ribeiro Braga, de Santo André (SP), uma forma simples e prática para se ter um ambiente calmo e aconchegante é optar pelo uso de itens como pedriscos, seixos, areia e casca de pinus. “Estes elementos podem ser utilizados para forrar e decorar caminhos, criar ambientes, dividir áreas de passagem e podem compor um sistema de tons muito interessante”, afirma.

“Para jardins menores, é possível apostar no uso de casca de pinus, que retêm a umidade, seixos coloridos e ornamentos como pedras e pequenas esculturas”, completa Rebeca Ribeiro Braga.

Utilize vasos e composições

Quanto aos vasos, de acordo com a profissional, eles são uma maneira rápida de criar uma composição de flores e folhagens, mas não são a única alternativa. “Hoje em dia podemos observar o uso de troncos de madeiras, gaiolas antigas, garrafas coloridas e cestos trançados como suportes de belos arranjos”, explica.

“Suportes de parede para vasos e trepadeiras ou mesmo ‘hangers’, que são os vasos pendurados por ganchos ou por suportes de macramê, estão em alta e podem ser, com um pouco de habilidade, desenvolvidos por conta própria”, diz Rebeca.

 

Fonte: Blog Pra Construir

Janelas CASACOR: novo projeto irá refletir sobre a casa pós-pandemia

 

A CASACOR convidou arquitetos e designers de todo o Brasil para criar vitrines que forneçam um olhar sobre os desafios do morar na pandemia

A sabedoria popular diz que quando uma porta se fecha, uma janela se abre, trazendo sempre novas visões e oportunidades. Em um ano em que toda a população fechou as portas de suas casas por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas janelas se tornaram um portal para ver o mundo de um jeito diferente.

Com essa inspiração, foi criado o projeto Janelas CASACOR. Um verdadeiro exercício criativo e de reflexão, com o objetivo de tornar tangíveis conceitos e ideias de quem pensa a casa, transformando tudo isso em soluções para nossas angústias e traduzindo a casa dos novos tempos.

No projeto Janelas CASACOR, vitrines espalhadas pelo Brasil materializam a casa pós-pandemia na visão do elenco de profissionais CASACOR, que terá como desafio alguns questionamentos que fazem parte da vida de todas as pessoas: o que mudou em nossas vidas e em nossos lares com o novo coronavírus? Quais são nossas novas necessidades e anseios? Tudo será digital ou ainda resta espaço para o contato?

A CASACOR convidou os mais destacados arquitetos e designers de interiores do Brasil a pensar nas respostas para essas perguntas e colocar tudo em janelas que permitam avistar a realidade do novo morar.

O projeto, uma iniciativa democrática, presente nas áreas centrais e periféricas das metrópoles, que dá continuidade ao compromisso de responsabilidade social e sustentabilidade da CASACOR, poderá ser visto de duas formas, totalmente gratuitas: pessoalmente, cumprindo as regras saúde, segurança e distanciamento social; ou em visitas virtuais no site oficial da CASACOR, guiadas pelo autor de cada projeto.

Com o adiamento da edição 2020 de CASACOR — a mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas —, o formato das Janelas CASACOR vem como resposta ao momento que estamos vivendo.

“Para a CASACOR, 2020 não é um ano perdido. É um momento de virada. De grandes reflexões e de mostrar a criatividade de toda a equipe. É a primeira vez em 34 anos que o evento não acontece e aprendemos que toda crise traz a oportunidade de fazer algo novo. Surgem novas ideias, novos caminhos, um novo projeto. A proposta do projeto Janelas surge para mostrar que é possível traduzir o espírito de CASACOR em formatos além do tradicional, mantendo a personalidade da marca ao mesmo tempo em que propomos algo inédito para o segmento”, explica Livia Pedreira, Diretora Superintendente.

Fique ligado! A edição do Janelas CASACOR em São Paulo já tem data marcada para acontecer: de 4 outubro a 15 de novembro de 2020.

Assista também ao vídeo de lançamento do projeto, com criação e produção Augusto Custódio e roteiro Casa Darwin:

Fonte: CASACOR

Somos Fornecedor Oficial CASACOR 2020!

É com grande alegria que anunciamos ser um dos fornecedores oficiais da CASACOR 2020, na cidade de Ribeirão Preto. Tecnologia, modernidade e futurismo fazem parte de nosso cerne, aliados à filosofia CasaCor temos certeza de ser uma parceria de muito sucesso!

CASACOR é a maior e mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas. O evento que reúne arquitetos, designers de interiores e nomes da elite do paisagismo, acontece em 21 cidades do Brasil e 6 no exterior.

 

Sobre a mostra
A primeira CASACOR Ribeirão Preto contou com 38 ambientes que ocuparam uma charmosa casa no Alto da Boa Vista, com um ar irresistível de interior. Os visitantes puderam conferir de perto inspirações para espaços de tamanhos variados, a partir de 6 m². Para muitos, é como se sentir em casa!

A mostra, comandada por Maurício Siqueira e Maurício Calixto, aconteceu de novo em 2019. Nesse ano, a CASACOR Ribeirão Preto foi realizada em uma região privilegiada da cidade – na Av. Carlos Consoni, nº 60, Jardim Canadá. No total, 41 ambientes trouxeram o tema central da mostra, Planeta Casa, contando com um time de 60 profissionais. Em uma área de 2.700 m² os projetos de quartos, lofts, cozinhas, banheiros e áreas comuns apresentaram diferentes linhas criativas para todos os perfis, com proposta de refúgios particulares acolhedores usando diversos materiais que apesar de distintos, se completam.

Como fazer o melhor orçamento para construir a sua casa

Ter a sua casa própria é o sonho de muitas pessoas, né? Ainda mais quando for a casa do futuro!

Mas tirar isso do “papel” às vezes pode ser bem complicado. Uma das maiores dificuldades nesse percurso é a parte financeira e ter um  orçamento bem definido. Afinal de contas, quanto custa construir uma casa?

Neste post explicaremos um pouco sobre o que é o orçamento da obra e suas técnicas.

O que é o orçamento da obra?

O orçamento nada mais é do que calcular todos os gastos gerais que a construção ou a reforma terá do início ao término do projeto. Pontuando todos os gastos feitos durante a obra realizada, seja em questão de materiais de construção, mão de obra dos profissionais, aluguel de equipamentos, impostos, encargos, entre outros. Esses cálculos devem considerar todo os tipos de despesas, com isso, todo projeto deve ser alinhado separadamente para que dê tudo certo para ambas as partes.

Os custos podem ser classificados em dois tipos: custo direto e o custo indireto.

O custo direto é toda a parte de despesas aplicadas diretamente na construção. Normalmente são os gastos com materiais de construção, mão de obra, serviço e aluguel de equipamentos, como comentamos acima, e representam de 70% a 90% no gasto total da obra. Por isso atenção total nessa etapa do orçamento.

Já o custo indireto se encaixa na parte das despesas relacionadas a obra, mas não aplicadas diretamente na construção e representam de 10% a 30% no gasto total. Mas como assim? Então, queremos dizer que, as taxas para fazer a ligação de água e energia, as taxas da prefeitura para liberação do alvará da obra, seguros, honorários do arquiteto, engenheiro, entre outros, se encaixam nas contas gerais do orçamento.

Assim como outras despesas podem ser incluídas, tempo de obra (como diz o ditado “tempo é dinheiro” e nós valorizamos muito isso), o combustível para visitar a obra, ou seja, quanto mais detalhado o orçamento, melhor será a sua precisão.

Nós da Ouro Branco trabalhamos com o orçamento bem definido, conversando e planejando junto com os clientes, para que este valor não se altere no meio do caminho. Garantindo que, desde o início do projeto até o momento da entrega das chaves, o valor será o mesmo.

Existem muitos estilos de orçamentos de obras, assim como cada projeto é único. Agora, para que você pare e pense bem em toda a realização do projeto da sua casa, vamos parar por aqui e continuaremos em um próximo post, ok?

Aproveite esse tempo e veja algumas inspirações em nossas redes sociais, isso pode ajudar a se nortear. Entre em contato com a gente para dúvidas e orçamentos. Ah, e lembrando que fazemos o orçamento pra você sem compromisso, esperamos te ajudar a realizar o seu sonho da casa do futuro. Até mais!

Casa bem arejada

Para aliviar o calor tropical de nosso país, uma casa bem pensada e ventilada faz toda a diferença, inclusive afeta o bem-estar da sua família. Ambientes mal ventilados e abafados podem acumular ácaros e bactérias que podem ser nocivos à saúde. 

A Ouro Branco separou alguma algumas dicas para pensar em uma casa bem arejada e, consequentemente, mais fresca. 

JANELAS

Se você estiver construindo sua casa, é muito importante avaliar o melhor posicionamento das janelas e portas de acordo com a direção dos ventos e o posicionamento do sol durante o ano. Caso a residência já esteja construída e com posicionamento desfavorável é possível usar técnicas de sombreamento beirais, pergolados ou vegetação para proteger a casa do sol.

PISO

Os pisos frios são mais fáceis de limpar e mantém a casa mais fresca. Podem ser molhados e, por essa razão, são mais usados em áreas maiores e de circulação. A escolha de material é importante, pois algumas matérias-primas não dissipam o calor e tornam o ambiente mais abafado. Pisos de madeira e carpetes, por exemplo, apesar de deixar o ambiente mais aconchegante, também o torna mais abafado e escuro.

ILUMINAÇÃO

A iluminação é capaz de influenciar na sensação térmica, pois a luz artificial também produz energia térmica, que deixa os ambientes mais quentes. Lâmpadas frias, como as fluorescentes e de LED, consomem menos energia, tem maior durabilidade, são recicláveis e não emitem calor, sendo uma opção mais inteligente e sustentável para a iluminação da sua casa. Ter um projeto luminotécnico adequado para o espaço também economiza energia e evita falta ou excesso de iluminação em determinados ambientes.

DECORAÇÃO E PAISAGISMO

Na decoração dê preferência aos tecidos naturais em cortinas e estofados, pois eles ajudam a absorver o calor e a manter a temperatura agradável. Diminuir a quantidade de móveis nos cômodos aumenta a circulação de ar e torna o ambiente mais fresco. A pintura com cores claras, que refletem menos calor e aproveitam melhor a luminosidade também ajuda a deixar o ambiente mais arejado. Se você tem um quintal ou um jardim bastante espaçoso, árvores ou plantas, como trepadeiras, formam sombras e deixam o ambiente mais fresco. 

Construa a casa dos seus sonhos com a Ouro Branco! Contamos com uma equipe especializada e projetos inteligentes, com acompanhamento em todas as etapas da obra, para que você não tenha surpresas desagradáveis.

Mande uma mensagem que entramos em contato com você!

*Fonte: www.shiota.arq.br/blog/casa-bem-ventilada/

Gesso: utilização além do acabamento

Após regularização das normas pela ABNT, produto está sendo utilizado na construção de casas, principalmente nos estados da região Sudeste do país.

Em média, uma casa de 42 metros quadrados leva entre dois e quatro dias para ter as paredes levantadas.
Pernambuco detém 97% da produção de gesso do Brasil. Concentrada no Sertão do Araripe, a atividade gera 9.600 empregos diretos e atende a todo o país em variados setores econômicos mas é na construção civil onde estão os principais clientes. Mais da metade da produção (60%) é destinada a estre segmento. E aí não estamos falando apenas de acabamentos, como os conhecidos rodapés ou rodatetos. Hoje, o gesso é utilizado na construção como um todo, sendo usado desde levantamento de paredes internas e externas, reforçando a alvenaria, até os conhecidos e já tradicionais itens de decoração.

“O produto está sendo muito utilizado na construção de casas. Basicamente, é necessário que tenha um projeto direcionado e se estabeleça se será primeiro ou térreo e segundo andar. O uso tem crescido principalmente após a normatização do produto pela ABNT”, ressalta o presidente da Câmara Setorial do Gesso da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD Diper). A norma em questão é a 12129:2017- Gesso para Construção Civil- Determinação das propriedades mecânicas, elaborada pela Comissão de Estudo Especial de Gesso Natural e Seus Derivados da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A norma estabelece o método para determinação das propriedades mecânicas do gesso para a construção denominadas: dureza e resistência à compressão.

De acordo com Inojosa Filho, algumas características são primordiais para o aumento da procura pelo produto como, por exemplo, a facilidade de moldagem, boa aparência, acústica mais aprimorada e produtividade elevada. “A aplicação dos revestimentos em gesso é mais rápida e fácil do que a das argamassas convencionais, então o tempo da construção é bem maior. Para se ter uma ideia, uma casa de 42 metros quadrados para ser construída com gesso leva uma média de três a quatro dias para levantar as paredes e 15 dias para finalizar a obra”, calcula.

Na construção de edifícios, o gesso é utilizado nas paredes internas. “Em média, há uma redução de 30% no uso de aço e concreto nas superestruturas e de 11% na fundição”, ressalta Inojosa Filho. O empresário lembra ainda que o gesso é considerado um excelente isolante contra a propagação do fogo. Essa característica foi, inclusive, o ponto chave para que o produto ganhasse espaço no mercado europeu. Na França, o uso do gesso foi tornado obrigatório pelo Rei Luis XIV (conhecido como Rei Sol) em 1667, por causa do incêndio que destruiu Londres no ano anterior. Na época, as estruturas das casas eram feitas de madeira e passaram a ser revestidas com gesso para protegê-las do fogo.

Com relação à demanda, apesar da produção estar concentrada em Pernambuco, o produto não fica no Nordeste. Em torno de 60 % do consumo está nos estados do Sudeste. Apenas 25% ficam no Nordeste. “O Araripe tem uma produção mais forte por conta do clima, que é muito seco e facilita a pré- fabricação dos moldes. De Pernambuco, distribuímos por via terrestre para todo o país”, pontua

Vantagens da utilização do gesso na construção

O Brasil produz 5,4 milhões de toneladas de gesso por ano, sendo que entre 85% e 90% deste total é utilizado na Construção Civil como placas para forro e material para revestimento. Na maioria dos casos, segundo informações do vice-presidente do Sindicato da Indústria do Gesso de Pernambuco (Sindusgesso), Josias Inojosa de Oliveira Filho, quem define a compra dos produtos de gesso no processo construtivo é o dono da construtora, o diretos técnico, ou o arquiteto responsável pela obra.

Vantagens
Para o vice- presidente da Sindugesso, além de oferecer vantagens funcionais em relação à alvenaria convencional, de cerâmica vermelha e de cimento, os blocos de gesso proporcionam economia de até 20 % no processo de construção de edifícios.
“Estudos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo e do Instituto Tecnológico de Pernambuco (ITEP) comprovam que as paredes de blocos de gesso oferecem maior resistência do que as construídas com tijolos cerâmicos ou de cimento”, revela.

Ele comenta que no Brasil, na Austrália e em outros países, são construídos edifícios de apartamentos e prédios corporativos com alvenaria externa em blocos de gesso. “A impermeabilização perfeita e a manutenção correta da fachada, para que permaneça sempre impermeável, são fundamentais para a vida útil da edificação. A alvenaria de gesso exige o mesmo cuidado que se tem com fachadas construídas com tijolo cerâmico ou de cimento”, diz.

Oliveira Filho comenta, ainda, que no Brasil, o uso de blocos de gesso nas paredes externas não é maior devido a casos de infiltração que são imputados aos blocos de gesso. “Esses problemas surgem em razão da má execução do trabalho ou pela falta de manutenção do revestimento da fachada”, explica. Em sua análise, isso ocorre devido à falta de cultura em relação ao uso do gesso como material nobre na Construção Civil brasileira. “Mas este quadro está mudando e os produtos de gesso estão ganhando cada vez mais espaço”, diz.

Fonte: AECweb